Foi realizada nesta quinta-feira, 26 de abril, a Assembleia Geral Ordinária da COOPNORE, em Porto  Alegre, Rio Grande do Sul. O intuito do encontro foi oficializar a aprovação do relatório de prestação de contas do ano de 2017, além de apresentar o plano de ação para o ano de 2018 aos delegados, representantes dos associados, diretores e membros dos conselhos administrativo e fiscal da cooperativa.

A reunião teve transmissão ao vivo para todas as sedes que fazem parte da rede, localizadas nas cidades de Belo Horizonte, Florianópolis, Rio de Janeiro e São Paulo. O vice-presidente do Conselho Administrativo, José Carlos Guizolfi Espig, abriu a reunião agradecendo aos presentes pela importante participação. Após a abertura, a Assembleia foi conduzida pelo diretor geral da COOPNORE, Altamar Garcia Mendes. Os números da entidade para os últimos cinco anos, assim como os números do ano de 2017, foram apresentados pela coordenadora contábil da cooperativa, Aline Saraiva.

Altamar Garcia destacou a grande evolução da cooperativa nos últimos cinco anos. “É visível o crescimento da entidade nos últimos cinco anos, e apesar do ano de 2017 ter tido um primeiro semestre  mais complexo, conseguimos finalizar de forma positiva”, concluiu o diretor. O número de associados para o período teve um crescimento de 152%, passando de 1.923 em 2013, para 4.861 em 2017. O maior dos destaques para o período ficou para a carteira de depósito a prazo, que teve uma evolução de mais de 200%.

Para o conselheiro fiscal, Danilo Alceu Kunzler, atual presidente do Colégio Notarial do Brasil, Seção Rio Grande do Sul, ter uma cooperativa da classe é muito importante para os notários e registradores, pois isso os fortalece. Na ocasião, o conselheiro fiscal convidou os associados a participarem dos eventos da classe. “É muito importante que os associados participem da vida da cooperativa, pois é importante estar por dentro para apoiar o progresso da entidade”.

Segundo Claudio Nunes Grecco, conselheiro fiscal da COOPNORE e atual presidente do Instituto de Registros Imobiliários do Rio Grande do Sul (IRIRGS), e vice-presidente do Colégio Registral do Rio Grande do Sul, a falta de participação dos associados nas Assembleias de Núcleo e na Assembleia Geral Ordinária é preocupante. “Sentimos muito a falta dos cooperados, não ter um número significativo presentes em uma assembleia ordinária é uma pena. A Assembleia é fundamental para que nos informemos sobre tudo que de mais importante acontece com a cooperativa, afinal, é ela quem gere nossos interesses. Até o surgimento da COOPNORE, tínhamos nosso dinheiro sendo gerido por outros bancos. Hoje, a COOPNORE se mostra muito mais eficiente”.

Luciana Jardim, funcionária do primeiro Registro de Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas (RTDPJ) de Porto Alegre, é delegada na capital e associada da cooperativa desde a sua fundação, se diz muito satisfeita com os produtos que a COOPNORE oferece. “Sinto-me comprometida, pois estou junto desde a fundação, e o crescimento da COOPNORE faz parte do crescimento da nossa classe”.

A funcionária do Colégio Registral do Rio Grande do Sul, Aurora Ferreira, é associada desde janeiro de 2006. Participou pela primeira vez como delegada de uma Assembleia Geral Ordinária da COOPNORE. “Achei muito importante a minha participação, porque fiquei sabendo da parte financeira da cooperativa. Este ano, particularmente, foi muito positivo saber que as sobras serão investidas na própria cooperativa, pois pude saber que isso fortalece a entidade.

%d blogueiros gostam disto: