A facilidade de crédito ofertada pelas lojas e instituições financeiras, aliada ao excesso de compras por impulso e demais hábitos negativos, pode resultar em grandes dívidas para o consumidor. Neste cenário, a busca por liquidar os débitos, bem como se organizar financeiramente, torna-se possível quando feito um acompanhamento periódico dos gastos e rendimentos.

Aqui neste link você relembra algumas dicas para acompanhar seus gastos e rendimentos, agora vamos falar sobre diminuir as dívidas já contraídas.

Negociar uma dívida é sempre uma situação positiva, considerando que o devedor paga menos juros e o credor recebe o valor devido em menos tempo. Pensando em quem possui dificuldade para liquidar os débitos, a COOPNORE lista algumas dicas sobre como buscar um acordo com os credores, visando quitar dívidas existentes o quanto antes.

Reúna as dívidas existentes
O primeiro passo para quitar as pendências é rastrear todas as dívidas que estão em atraso e/ou financiamentos negociados a longo prazo com as instituições financeiras. A análise é necessária para entender qual o montante pendente em relação à capacidade de pagamento com base na sua renda atual.

Analise o cenário da economia
Entender as circunstâncias da economia é fundamental para avaliar se as condições serão, de fato, melhores que as anteriores. Desde março de 2017, o COPOM (Comitê de Política Monetária) do Banco Central reduziu a taxa básica de juros para 6,5%, menor índice da tarifa desde que o comitê foi criado, em 1996. O cenário se apresenta como o período ideal para a renegociação ou portabilidade de dívidas, considerando que, em momentos como este, as instituições financeiras diminuem as taxas de juros em algumas linhas de crédito. Isso facilita a obtenção de melhores condições de pagamento e a redução dos juros cobrados a longo prazo.

Avalie sua renda atual
Analisar a renda líquida do mês, descontados os impostos e subtraído os gastos essenciais, como habitação, saúde, alimentação e demais custos fixos, possibilita compreender os recursos que podem ser direcionados para a quitação de dívidas. Este saldo é o que deve ser proposto para a nova configuração de pagamento mensal da dívida ao banco.

Contate a instituição financeira
Uma alternativa é buscar a migração para uma linha de crédito com melhores condições de pagamentos e juros menores, diretamente na instituição financeira que possui o débito. Mesmo que seja possível realizar a simulação online, entrar em acordo com a instituição financeira pessoalmente possibilita a realização de um plano formatado de acordo com o perfil do devedor. Durante o encontro, sugira soluções de pagamento com base na sua avaliação preliminar e peça um tempo para avaliar as condições de pagamento.

Pesquise as condições oferecidas por outras instituições
Outra possibilidade é fazer a portabilidade da dívida para outra instituição financeira. É necessário obter previamente um extrato detalhado da dívida para pleitear melhores condições. Analise a renegociação com o credor atual e solicite uma simulação de financiamento para avaliar as taxas de juros, prazos e benefícios das demais instituições financeiras. As condições podem ser usadas para forçar seu atual banco a oferecer possibilidades de crédito semelhantes e/ou para concretizar a portabilidade da dívida.

Analise o novo contrato
Antes de oficializar o novo contrato de financiamento, avalie se o documento não possui irregularidades ou cláusulas que prejudiquem o inadimplente em casos de atrasos pequenos.

%d blogueiros gostam disto: