A previdência privada se caracteriza como uma possibilidade de aposentadoria que não está vinculada ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sendo uma opção complementar ao modelo público. Optar por essa alternativa possibilita dispor de acesso a recursos e tranquilidade financeira durante a terceira idade.

Neste caso, é fundamental a reserva periódica de recursos durante o período de acumulação (data de contratação até data escolhida para início do recebimento do benefício), visando obter a quantia necessária para resgatar de uma única vez ou receber como rendimento mensal.

Dentre as diversas possibilidades de planos de previdência privada, em que você pode optar por uma alternativa padrão e/ou pela reserva de capital em investimento, é necessário ter em mente as fases desta aplicação e a opção de renda a ser escolhida, descritas pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) do Governo Federal.

Fase de acúmulo: etapa em que você reserva uma quantia mensal pré-estabelecida durante um longo período de tempo (em geral, de 20 a 35 anos);

– Fase de renda: período em que você recebe o dinheiro (se inicia logo após ao término da fase anterior), de acordo com a sua preferência.

Os tipos de renda determinam a forma em que você receberá os rendimentos da sua aplicação:

Renda temporária: consiste em uma renda paga temporária e exclusivamente ao participante. O benefício cessa com o falecimento do participante ou o fim da temporariedade contratada, o que ocorrer primeiro.

– Renda vitalícia: consiste em uma renda paga vitalícia e exclusivamente ao participante a partir da data de concessão do benefício. O benefício cessa com o falecimento do participante.

Renda vitalícia reversível ao beneficiário: consiste em uma renda paga vitaliciamente ao participante a partir da data de concessão do benefício escolhida. Em caso de falecimento, durante a percepção desta renda, o percentual do seu valor estabelecido na proposta de inscrição será revertido vitaliciamente ao beneficiário indicado.

Ao decidir alocar parte de sua renda para a previdência privada é recomendado analisar a forma de cobrança de impostos que incidirá sobre a quantia depositada. As opções variam entre a tabela regressiva, recomendada para o resgate do dinheiro de uma só vez, e a tabela progressiva, recomendada para quem visa receber o dinheiro em parcelas mensais.

Essa alternativa deve estar alinhada ao seu planejamento financeiro, considerando os seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Confira os benefícios do planejamento e entre em contato com a COOPNORE para obter auxílio na sua educação financeira.