Entre março e abril contribuintes de todo o País devem entregar a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) 2019. A COOPNORE já divulgou um passo a passo para efetuar a sua declaração. Neste processo, caso você tenha ações em sua carteira de investimentos ou ganhos obtidos em 2018, é necessário incluir essas informações na declaração deste ano.

Apresentar esses dados é importante para todos os investidores que possuem esses ativos na carteira ou que os tiveram durante o ano de referência 2017/2018. Por se tratar de uma situação específica, explicamos abaixo como incluir a aplicação financeira no Imposto de Renda 2019:

– Posse de Ações

As ações que você possui até o dia 31 de dezembro de 2018 devem constar na ficha “Bens e Direitos”. O ideal é inserir cada ação individualmente, incluindo o valor do custo de aquisição, isto é, o preço pago pela ação multiplicado pela quantidade de ações e as taxas pagas para a corretora e a bolsa de valores.

Caso a compra da ação tenha sido efetivada por meio de pagamentos pontuais, com valores diferentes, o custo de aquisição de cada ação deve ser o preço médio ponderado, isto é, os preços maiores têm mais peso e são multiplicados pelo número de ações.

– Venda de Ações de até 20 mil reais

Caso você tenha vendido ações em 2018 e obtido lucro, o ganho deverá ser declarado como rendimento no Imposto de Renda 2018. As ações vendidas no valor de até R$ 20 mil no período de um mês não são tributadas – válida para todas as ações em posse do contribuinte que não tenham sido compradas e vendidas no mesmo dia.

Desta forma, esta renda deve constar na ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”, na linha 18 — “Ganhos líquidos em operações no mercado à vista de ações”.

–  Venda de Ações superiores a 20 mil reais

Caso você tenha vendido ações em 2018 com valor superior a R$ 20 mil em um único mês é tributado em 15% – após a compensação de resultado negativo de meses anteriores, se for o caso. Já o ganho líquido de operações day trade é tributado em 20%.

O Imposto de Renda deve ser recolhido até o último dia útil do mês seguinte ao da liquidação da operação. Caso a quitação do imposto esteja atrasada, o programa já calcula a multa e os juros automaticamente.

A modalidade de ganhos tributados deve ser informada na aba “Renda Variável” da declaração, em “Operações comuns/ Day Trade”. É necessário incluir os ganhos líquidos com operações comuns e com operações day trade no mês em que ocorreram, já com o desconto das taxas de operação, mas antes do desconto do IR.

Nestes casos, o investidor deverá descontar o imposto de renda retido na fonte. Quando a operação com ações supera o limite de R$ 20 mil em um mês, a corretora desconta um percentual de IR sobre os ganhos do total das operações, para a Receita saber que houve uma operação sujeita à tributação.

– Perdas

Caso você tenha vendido ações no ano passado e teve prejuízo, é necessário informar na aba “Renda Variável” da declaração, precedida de um sinal de menos (-). O valor deve ser descontado do ganho líquido de uma operação antes da aplicação da alíquota de IR.